Instituto Brasileiro de Museus

Museu da Inconfidência

Museu preserva o acervo ao substituir obras raras por cópias fidedignas

publicado: 23/03/2020 17h39, última modificação: 29/03/2020 17h54
A museóloga Mariana Souza e a estagiária efetuam a substituição de fotografias originais de Ouro Preto no século XIX por fac-símiles na Sala Império (Foto: divulgação/MDINC)

Em fevereiro de 2020, o Museu da Inconfidência/Ibram realizou a substituição de documentos e obras originais de seu acervo arquivístico e bibliográfico por fac-símiles, que passaram a compor a exposição de longa duração, garantindo a preservação dos originais da história brasileira.

“Recolhemos os documentos para local climatizado no Arquivo Histórico como medida de preservação. Desta forma, garantimos vida longa aos registros da Inconfidência Mineira, da história do período colonial e do ciclo de ouro”, explicou a diretora do Museu, Margareth Monteiro.

Para se chegar às réplicas fidedignas de mais de 60 obras foram realizados serviços de digitalização, tratamento de imagens e produção de fac-símiles por empresa especializada, que utilizou suporte de papel com pH neutro e grande durabilidade, com impressão de alta qualidade garantida por meio da técnica ‘fine art’.

“Foi uma grande conquista para a memória nacional, considerando que o museu da Inconfidência Mineira é reconhecido como maior banco de dados sobre a Conjuração Mineira e seus protagonistas”, concluiu a diretora.